Araújos recebe palestra com o tema “Violência Doméstica Contra Mulheres e Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes”

Palestra foi ministrada pela Delegada Regional da Polícia Civil de Nova Serrana, Drª Angelita Viviane Soares Alves.


O auditório da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Araújos (ACIA) teve sua capacidade quase lotada na terça-feira (27), onde servidores e também a sociedade civil puderam ouvir a palestra “Violência Doméstica Contra Mulheres e Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes”, com a Delegada Regional da Polícia Civil de Nova Serrana, Drª Angelita Alves.

A ação partiu do Executivo municipal em parceria com as secretarias de Assistência Social, Educação e Saúde. Além da palestrante, também estiveram presentes  o Prefeito Municipal, Francisco Cléber Vieira de Aquino (Bel), o secretário de Assistência Social Rodrigo Gonçalves, a Secretária de Educação, Paulina Souza, o Sargento da Polícia Militar de Araújos, Vagner Rodrigues Vieira,  Sargento Célia, da Polícia Militar de Nova Serrana, Sargento Amanda, do 3º Pelotão da Polícia Militar de Perdigão, Dr. Dácio Nunes, representante da OAB de Nova Serrana, além de professores e agentes da área de saúde e assistência social, bem como de munícipes.

 Antes do início da palestra, em fala, o Prefeito Bel destacou sua preocupação em tomar uma atitude, após, em meados de maio, receber em seu gabinete, mulheres que buscavam ajuda por serem vítimas de violência doméstica. “A gota d’água foi quando tive conhecimento de duas crianças que foram vítimas de abuso sexual. Foi quando procurei a delegada e tivemos a iniciativa de realizar este evento direcionado, não somente aos educadores, agentes de saúde, ou sociais, mas também para toda comunidade, principalmente às mulheres, buscando informar e encorajá-las sobre o que fazer nessas situações”.

 O Secretário de Assistência Social, Rodrigo Gonçalves, falou dos casos de violência doméstica e abuso contra crianças e adolescentes, que estão sendo acompanhados pela pasta e da importância de não se calar.  “Às vezes, as pessoas acham que a cidade é pequena e isso não acontece aqui, mas existe. O município tem registro de casos, o que gera grande preocupação. Então, em reunião com o prefeito, nós decidimos realizar este evento par sensibilizar a população araujense da importância de denunciar”.

A Secretária de Educação alegou que tal ação é muito importante para que os professores e monitores possam identificar e orientar seus alunos: “Trabalhamos com a prevenção e orientação de alunos desde as creches, até o 5º ano do Ensino Fundamental. A criança precisa entender o que é o abuso e como ela deve agir, diante destas situações e também entender que pode confiar no professor em situações do tipo. Os professores e monitores também recebem orientações de como identificar situações do tipo. A prevenção começa na escola”, completou.

A palestra

 Somente em 2018, 5 milhões de mulheres foram vítimas de violência doméstica – cerca de 536 por hora: “No ano em que a Lei Maria da Penha – que coíbe quaisquer tipos de atos discriminatórios e violentos contra as mulheres completa 13 anos, ainda é preciso orientar as mulheres, em especial as que são vítimas de abuso à buscarem ajuda, uma vez que estudos mostram o crescimento de casos de violência, seja ela psicológica, verbal ou física”, alega a Delegada.

Drª Angelita também explicou sobre os tipos de violência, alertando sobre modos de comportamento e também sobre a abordagem às vítimas: “Geralmente começa com a violência psicológica, que desencoraja a mulher, depois passam às injúrias, relações sexuais forçadas, ameaças verbais, até chegar à agressão. O abusador busca os pontos fracos da vítima, e o que deveria ser uma relação de confiabilidade se torna uma relação doentia. É preciso conversar, orientar e jamais julgar ou criticar a realidade daquela pessoa”.

Aos educadores, a Delegada reforçou a importância de se envolverem quando notarem que a criança pode ter seus direitos violados: “Ao diagnosticar um possível caso de abuso, o educador deve acionar o Conselho Tutelar, que fará um estudo do ambiente em que a criança vive e, se preciso, acionar a Polícia”, completou.

A sociedade civil, também foi esclarecida sobre seu papel diante dessas situações: “Este é um tipo de violência que dói muito. A população precisa ter coragem de agir e denunciar, o que pode ser feito anonimamente. Não devemos ter medo, e sim coragem! Este trabalho se torna muito mais eficiente quando Estado, Lei e povo compreendem e agem com responsabilidade”, alega.

Medidas

Além dos dados e orientações, a delegada também falou da possibilidade de uma intensificação dos trabalhos, para que inquéritos cheguem mais rápidos e os autores autuados. Falou também da importância da criação de ONG’s que ofereçam apoio a mulheres e crianças vítimas de violência. Parabenizou o Prefeito pela iniciativa e compromisso: “Quem dera todos os gestores e agentes públicos fossem tão interessados e preocupados com a segurança de nossas mulheres e crianças”.

Bel, por sua vez, comunicou que esta palestra não se trata de uma ação isolada e que a Prefeitura de Araújos, em parceria com as secretarias, Polícia Civil, Militar e comunidade, continuarão o trabalho, em prol da segurança de mulheres e crianças na cidade.




TAG's: Araújos, recebe, palestra, tema, “Violência, Doméstica, Contra, Mulheres, Violência, Sexual, Contra, Crianças, Adolescentes”

Inicial | Voltar
Link permanente: